quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Livro... Pão do Espirito!





Nem só de pão vive o homem, foi proferido por Jesus a mais de 2.000 anos. Em verdade precisamos para manter aceso a chama da vida em nosso intimo, mais do que o prato de arroz e feijão... precisamos de algo que nos alimente os sentimentos e os pensamentos e um dos mais nutritivos alimentos é o livro.
Quando menino lia muito quadrinhos... gostava muito daquelas estórias de super-heróis, me atraiam muito os quadrinhos americanos e os mangas japoneses... mas foi quando adentrei ao caminho dos livros que meus pensamentos se expandiram além do horizonte. Encontrei um mundo novo, onde realmente descobri que o impossível não existe para uma mente aberta ao novo, ao aprendizado. O primeiro livro que li foi Dom Casmurro de Machado de Assis, por volta dos meus 11 anos e em meio a leitura envolvente da história de Bentinho e Capitu (que me deixava com a pulga atrás da orelha sobre a traição ou não de Capitu) não consegui mais abandonar o chamado dos livros.
Passaram-se os anos e a vida deu muitas voltas, mas os livros continuavam a me abrir novos mundos, novos sonhos... alimentavam meu espirito com o desejo de conhecer e adquirir experiência. Em várias páginas encontrei respostas para minhas indagações mais profundas, como no caso de O Livro dos Espiritos, que meu pai me deu quando menino. O que me aguçou mais ainda os sentidos para a importancia do conhecimento não só de fora, mas principalmente o de dentro, de nosso intimo. Como disse Francis Bacon (politico e filosofo inglês, tambem considerado fundador da ciência moderna): "Saber é poder". Não sobre os outros, como tolamente pretensos intelectuais podem julgar. Mas poder sobre nós mesmos, sobre nossa percepção da vida e de seu objetivo. A cada página que viramos de uma boa leitura abrimos os nossos olhos para as maravilhas que podemos realizar em nós e como consequência, no mundo a nossa volta. "A leitura completa o homem, a aula prepara-o, a escrita torna-o exato", tambem afirmou Bacon. Questionando, assim, o valor do conhecimento meramente contemplativo ou teórico, deixa claro que cabe aos homens tomar uma atitude construtiva diante da vida e a educação é o instrumento para alcançar essa atitude. Não falo aqui só da educação cultural e intelectual, mas principalmente da educação moral. Comenta Allan Kardec em O Livro dos Espiritos, na questão 917: "Louváveis esforços são feitos, sem dúvida, para ajudar a Humanidade a avançar; encorajam-se, estimulam-se, honram-se os bons sentimentos, hoje mais do que em qualquer outra época, e, não obstante, o verme devorador do egoísmo continua a ser a praga social.(...)A cura poderá ser prolongada porque as causas são numerosas, mas não é impossível. De resto, não se chegará a esse ponto se não se atacar o mal pela raiz, ou seja, pela educação. Não essa educação que tende a fazer homens instruídos, mas a que tende a fazer homens de bem. A educação, se for bem compreendida, será a chave do progresso moral, quando se conhecer a arte de manejar os caracteres como se conhece a de manejar as inteligências, poder-se-á endireitá-los, da mesma maneira como se endireitam as plantas novas"

Portanto de nada adianta-nos, tambem, devorarmos pilhas e pilhas de livros e não aplicarmos em nossa vida uma educação que nos ajude a sermos mais fraternos, mais unidos e mais resistentes aos embates da vida. O homem pode ter todo o conhecimento do mundo, mas de nada vale se ele não utiliza-lo para o bem de todos. Não procurar expandir a necessidade de aprendizado com as lutas do caminho, de iluminação interior do homem para que ele passe a iluminar o ambiente onde vive é desconhecer a vida, é não viver. Aldous Huxley, grande escritor inglês, afirmou "experiência não é aquilo que você sabe, mas sim o que você faz com aquilo que sabe". Verdadeiro saber, verdadeiro viver é aplicar as descobertas que vamos fazendo nos livros e nas situações da vida, na verdadeira fraternidade que busca não mais o "eu", mas o "nós".
Todo o nosso caminho na terra é um grande aprendizado, somos alunos caminhando, passo-a-passo, para a descoberta de nós mesmos e o pão do espirito, o livro, é uma das mais excelentes portas para essa descoberta, porque nos tira das mesquinhezas e banalidades para nos transportar para um mundo onde tudo é possivel de se realizar. Mas isso quando nos faz sonhar e colocar em execução o nosso sonho.
Termino estas linhas já com o olhar sob uma bela edição de Desassossego de Bernardo Soares ( Heterônimo de Fernando Pessoa ), na esperança que ele me acrescente algo e eu acrescente algo na vida de alguém. Mas me fala alto ao coração a esperança de quem possa passar os olhos por esses pensamentos aqui transcritos, sinta desabrochar uma vontade de conhecer o universo dos livros, seja um romance, sejam poemas, seja filosofia, seja humor... não importa, desde que desperte essa sede de conhecer, de imaginar e de adquirir a verdadeira experiência, aplicando o que você sabe a favor de todos que estejam a sua volta. Grande abraço a todos!!!


Diogo Caceres

14 comentários:

paula barros disse...

Diogo

Sua reflexão para mim diz tudo, o ler, a educação como transformadora do ser, conjuntamente com a ação. Sem ação não há transformação.

Se os ensinamentes de Deus fossem compreendidos por essa ótica os seres humanos seriam mais evoluidos e o mundo diferente.

Sofro na minha caminhada de vida, na minha existência, por não ter compreendido isso a mais tempo, e o processo de mudança é lento.

Mas vamos seguindo...E aproveitando blogs como seu que são livros vivos e me ajudam a refletir.

Muita luz e paz para você.

Vivian disse...

..."Releio passivamente, recebendo o que sinto como uma inspiração
e um livramento, aquelas frases simples de Caeiro, na referência natural do que resulta do pequeno tamanho de sua aldeia.
Dali, diz ele, porque é pequena, pode ver-se mais do mundo do que da cidade; e por isso a aldeia
é maior que a cidade...

"Porque eu sou do tamanho do que vejo
E não do tamanho da minha altura."

Frases como estas, que parecem crescer sem vontade que as houvesse dito, limpam-me de toda a metafísica que espontaneamente acrescento à vida. Depois de as ler, chego à minha janela sobre a rua estreita, olho o grande céu e os muitos astros, e sou livre com um esplendor alado cuja vibração me estremece no corpo todo.

"Sou do tamanho do que vejo!" Cada vez que penso esta frase com toda a atenção dos meus nervos, ela me parece mais destinada a reconstruir consteladamente o universo.
"Sou do tamanho do que vejo!"
Que grande posse mental vai desde o poço das emoções profundas até às altas estrelas que se reflectem nele e, assim, em certo modo, ali estão.

E já agora, consciente de saber ver, olho a vasta metafísica objectiva dos céus todos com uma segurança que me dá vontade de morrer cantando. "Sou do tamanho do que vejo!"
E o vago luar, inteiramente meu, começa a estragar de vago o azul meio-negro do horizonte.

Tenho vontade de erguer os braços e gritar coisas de uma selvageria ignorada, de dizer palavras aos mistérios altos, de afirmar uma nova personalidade larga aos grandes espaços da matéria vazia.

Mas recolho-me e abrando-me.
"Sou do tamanho do que vejo!"
E a frase fica sendo-me a alma inteira, encosto a ela todas as emoções que sinto, e sobre mim, por dentro, como sobre a cidade por fora, cai a paz indecifrável do luar duro que começa largo
com o anoitecer."

Fernando Pessoa,
em um dos seus fragmentos.

realmente, lindo,
somos do tamanho do que vemos, não?

bjusss

Déia Arakaki disse...

Oi Anjinho...

É bem da verdade que desde pequena, também ja lia muito ja te contei isso né.
Também comecei por gibis, mais minha alma mesmo ainda infantil, lia aqueles gibis e via naquilo tudo muita ilusao e ja me questionava sobre a veracidade dos mesmos.
Eu sempre ansiava por muito mais, por algo que me cativasse a alma.
Em minha época era muito dificil se ter um bom livro, mesmo porqeu eles custavam muito caro , e em casa nao dispunhamos de dinheiro para os chamados "Superfulos".
Meu primeiro livro foi "O Rio Trás o Rio Leva" era uma historia que contava as tristezas de uma familia que perdeu tudo o que tinha em uma enchente desse rio, me lembro que em minha inocencia de criança eu chorei muito com esse livro (Até hoje choro com livros rs).
Mais daquele dia em diante eu não parei mais de ler.
Sempre que eu comentava o gosto pela leitura, mesmo que eu nao pudesse comprar um livro, sempre achei alguem que me emprestasse alguns.
Nossa forão tantos os temas ,tantos o livros que já nem me lembro mais.
O que falta entre os homens nesse mundo é justamente á : "Cultura".
Mais não a cultura que se retém , mais sim aquele que se aprende, e se aplica no dia a dia.
A sabedoria guardada para sí proprio é sabedoria perdida na minha opiniao.
Amo Ler !!
Poemas, Poesias , mais principalmente coisas que acrescentão em meu saber.
Me acho estranha as vezes rsrs.
Tenho um sentimento dentro de mim que quer saber, entender e refletir !!
Não gosto de coisas banais , gosto de reflexão, sei lá algo que tenho dentro de mim desde pequena é algo que as vezes me pergunto :
Porque esta sede de saber ,entender , conhecer e ler ler muito?
Mais acabei descobrindo que a leitura me liberta, me faz feliz, me faz sentir em outro mundo .
Um mundo que infelizmente não vivo , mais que consigo senti-lo com a alma.

Grande postagem anjinho me fez vooar e....
Pensar, Refletir e ter cada dia mais vontade de ler ler e lerrrrrrrrrrr

rs

Beijos

Alma de Poeta disse...

Olá Diogo,

Li o teu post de hoje e estou completamente de acordo, cada vez mais as pessoas se cultivam pelos estudos da ciência e cada vez menos vocacionados para os sentimentos.
Quero dar-te os parabéns pela tua escritá, pois que és um comunicador por natureza.
Deixo um beijinho com carinho, do outro lado do mar.

Luciene de Morais disse...

Diogo, quanta reflexão importante para um rapaz ainda jovem! Essas palavras são sábias do que importa adquirir "poder sobre nós mesmos, sobre nossa percepção da vida e de seu objetivo", junto com a atitude construtiva! Essencial.
"Mandou muito bem!" Como se diz por aí. Parabéns!

Eliana disse...

Bom Dia, Diogo

"Nem só de pão vive o homem, mas também de toda palavra que sai da boca de Deus."

"A boca fala do que o coração está cheio."

Pela graça de Deus devemos praticar o que pregarmos.

Por muito tempo os livros foram meus melhores companheiros, mas até os livros têm seu tempo útil, para cada um, pois conforme a nossa mente vai mudando, a leitura que necessitamos, também vai mudando.

Temos que ser livres para mudarmos, em todos os sentidos.

Obrigada pela sua visita e um final de semana abençoado para todos vocês,

Fiquem com Deus,
Beijos,

Tatiana disse...

Olá Bom dia Diogo!
Tendo em vista a qualidade do seu blogue e pessoa que você é,
Repasso ao seu blogue um Selo recebido.
Continue fazendo daqui um lugar especial e tão rico.

Um abraço carinhoso

Lucí disse...

Olá amigo..

Bom dia de meio dia!..rsrs

Sabe, eu sou uma apaixonada pela leitura, e comecei a ler muito cedo, passei pela fase dos gibis, livros infantis (li todos os contos que se possa imaginar) e tbm me aventurei na literatura brasileira muito cedo!..

O que facilitou minha vida, já que em vestibular eu já havia todos os classicos indicados. Meu escritor favorito é Érico Verissimo e meu livro dele é Solo de Clarineta, lindo..

Realmente o livro nos liberta, nos permite imaginar e viver situações fora de nossa realidade!..

Se for pensar nessa logica, o livro inserido na vida das crianças, permitem que elas reflitam sobre a vida, e a façam adultos melhores. Gosto de ler, por que ler me acalma, por que deve me manter ocupada, sem pensar inutilmente.

Ando meio cansada da literatura americana, traduções.. os classicos eu ja li todos, ando em busca de novos livros... se tiver algum pra me indicar eu agradeço..

Bjosss.. Ótimo texto!.. Peguei minha sementinha do saber aqui hj.. ;)

Thaís Motta disse...

Olá , tem presente pra você lá no blog . Espero que você goste , afinal ... é dedicado a todos os blog qe eu curto :)

Mil Beijos

Bete disse...

Ola Diogo.
Cada vez que passo por aqui, é pra mim uma renovação. Otimo post.
Desejo uma otima semana.
Que seu caminho seja sempre pleno de luz.
Obrigada pelo carinho
Bjs

REGGINA MOON disse...

Diogo,

Adoro voce, seu Blog e tudo o que ele passa de bom para todos!!!
Tenha tb uma ótima e linda semana...amo vir aqui...

Beijos,

Reggina Moon

Lucí disse...

Olá amigo, quase bom meio dia rsrs...

Passei pra te agradecer as lindas e gentis palavras que tem sempre a me ofertar..

Obrigada, beijos e tenha uma boa tarde!...

Cris Michelon disse...

Diogo, Cheguei ao teu blog por acaso, ...
Lindas reflexões e sábias palavras de sabedorias que nos fazem refletir sobre nossos ensinamentos e virtudes.
Tomei a liberdade de ser tua seguidora.

Uma boa semana.
abraços

Ana Paula Duarte disse...

Olá!!
Tenho vc no meu orkut e te encontrei no blog da Vivi In-foco, estarei linkando vc no meu blog, faça uma visita quando puder.
Abraço.