terça-feira, 1 de setembro de 2009

TEMPO DE CONFIANÇA



Todos já vivemos tempos de turbulência em nossas vidas. Momentos de dor, de dificuldades que se assemelham a terrível tempestade que ameaçam virar o barco de nossa vida... surgem essas tempestades de diversas formas: uma doença, um conflito com o parente difícil, problemas no trabalho, a partida de um ente querido, a desilusão que vem de forma inesperada, etc. Situações que muitas vezes parecem espremer o coração.

Há séculos atrás o Divino Amigo Jesus, como relatado em Marcos, 4:35-41, nos passa significativa lição sobre o assunto. Após um dia a consolar e envolver as multidões em suas palavras e vibrações de amor, disse aos discípulos que deveriam atravessar o mar da Galiléia, também conhecido como lago de Genesaré. Adentrando ao barco Jesus se recosta a popa do barco e começa a dormir. Em meio a viagem, o céu antes azul e sem nuvens, dá lugar a terrível temporal, nuvens escuras, raios faíscam, ondas sobem por cima do barco... assustados os discípulos correm a acordar o Mestre Amigo: socorre-nos que perecemos, afirmam!!
Jesus levanta-se, repreende o vento e diz ao mar: Cala-te, aquieta-te. E o vento se aquietou, e houve grande bonança. E disse-lhes: Por que sois tão tímidos? Ainda não tendes fé? E sentiram um grande temor, e diziam uns aos outros: Mas quem é este, que até o vento e o mar lhe obedecem? Cena memorável, que mexe com nossos pensamentos e sentimentos e nos leva também a nos questionar: onde está a nossa fé?
Em O Evangelho Segundo o Espiritismo, Capitulo 19, em Instrução dos Espíritos, um Espírito Protetor afirma: A fé é o sentimento inato, no homem, da sua destinação. É a consciência das prodigiosas faculdades que traz em germe no íntimo, a princípio em estado latente, mas que ele deve fazer germinar e crescer, através da sua vontade ativa. Nos dias atuais vemos a realidade dessas faculdades prodigiosas, demonstrada pela própria ciência que confirma os benefícios da fé no controle de uso de drogas e de álcool; influência na não participação em crimes; ainda, diversos estudos descobriram que altos níveis de comprometimento religioso resultam em níveis mais baixos de depressão e estresse, e também na estabilidade familiar, recuperações de enfermidades graves, seja pela convicção própria como também pela intervenção de terceiros, através da prece. O Espírito Protetor ainda assevera: A fé é humana ou divina, segundo a aplicação que o homem der às suas faculdades, em relação às necessidades terrenas ou às suas aspirações celestes e futuras. O homem de gênio, que persegue a realização de um grande empreendimento, triunfa se tem fé, porque sente em si mesmo que pode e deve triunfar, e essa certeza íntima lhe dá uma extraordinária força. O homem de bem que, crendo no seu futuro celeste, quer preencher a sua vida com nobres e belas ações, tira da sua fé, da certeza da felicidade que o espera, a força necessária, e ainda nesse caso se realizam os milagres da caridade, do sacrifício e da abnegação. Por fim, não há más inclinações que, com a fé, não possam ser vencidas.

Cientes disso, pegamo-nos a refletirmos: dizemos muitas vezes que somos pessoas de fé, que confiamos, que fazemos e desfazemos, mas diante do primeiro obstáculo desanimamos, desistimos e acreditamos que não será possível continuar. Quantas vezes nos apegamos a superstições como solução de nossos temores ou problemas? Conhecia um colega que não saia de casa sem um pé de coelho de casa, senão dava “má sorte”... o curioso é que o pé não havia dado sorte ao coelho. O mesmo se dá com os signos, os jogos de cartomancia, etc. Isso ocorre porque muitas vezes nós possuímos uma fé sem bases, dizemos que acreditamos, mas não sabemos por que acreditamos em algo. Nesse sentido, a fé pode ser racionada ou cega. A fé cega nada examina, aceitando sem controle o falso e o verdadeiro, e a cada passo se choca com a evidência da razão. Levada ao excesso, produz o fanatismo. Quando a fé se firma no erro, cedo ou tarde desmorona. Por isso inevitável afirmarmos com Allan Kardec, codificador da doutrina Espírita: "só é inabalável a fé que pode enfrentar a razão face a face, em todas as épocas da Humanidade".

Em verdade só descobrimos a fé inabalável diante dos embates do caminho... a fé é testada diante das inúmeras provações, que mais não fazem do que burilar nosso intimo, fazendo despertar as faculdades prodigiosas que todos possuímos... inúmeros dos milagres de toda a historia humana se explicam por essa capacidade divina em nós, que nada mais é que resultado de uma lei natural, apenas desconhecida do homem, como também era desconhecida a eletricidade, o magnetismo, a força da gravidade. Somos como o minério bruto que retirado da natureza é lapidado até se transformar num brilhante diamante!! Mas para que possamos superar os golpes do “ourives” que é a vida, precisamos acreditar em nosso potencial, compreendermos que há uma Inteligência Superior, que deixa sua assinatura na natureza em nossa volta. Que nos criou para a felicidade, que é construída diariamente a cada superação, a cada vitória, por mais pequenina que seja. Sejamos então otimistas, mesmo diante das maiores dificuldades, por que essa é a verdadeira lógica. Como disse Helen Keller, escritora, conferencista e ativista social estadunidense ( que ficou cega e surda, desde tenra idade, um dos maiores exemplos de que as deficiências sensoriais não são obstáculos para se obter sucesso), “o otimismo é a fé em ação. Nada se pode levar a efeito sem otimismo”.

O que não nos faltam são exemplos da importância dessa fé em ação e de como sua ausência pode nos atravancar o caminho. A primeira mulher a atravessar a nado o Canal da Mancha foi uma jovem de vinte anos de idade. Seu nome era Gertrude Ederle e esse fato se deu no dia 6 de agosto de 1926. Depois dela, uma outra mulher, de trinta e quatro anos, Florence Chadwick, tornou-se a primeira mulher a atravessar o Canal da Mancha, nos dois sentidos. Mas, em 1952, essa mesma mulher decidiu atravessar a nado os 33 km entre a Ilha de Catalina e Long Beach, na Califórnia. O dia 4 de julho, escolhido para a proeza, não estava propício. A manhã estava muito fria e havia um nevoeiro intenso. Ela se preparou e mergulhou na água. Contudo, mal conseguia ver os barcos que a acompanhavam. O nevoeiro era denso. O frio e o cansaço não conseguiam fazê-la desistir. Ela podia ouvir as vozes de incentivo do treinador. Contudo, as forças a foram abandonando. Ela continuou nadando. Era a sua determinação a lhe ordenar que prosseguisse. Mas, um pouco antes de chegar à praia, ela pediu para ser recolhida a bordo. De nada valeram as rogativas de sua mãe e de seu treinador.
-Não posso mais! Não agüento mais! Dizia ela. Minutos depois ela descobriu que restavam apenas oitocentos metros para chegar à praia. Ante a desolação dos que lhe seguiam os esforços de perto, incentivando-a, falou: "não estou dando desculpas, mas se eu tivesse conseguido ver a praia, poderia ter chegado até lá." Florence Chadwinck foi vencida não pelo frio, nem pelo cansaço. Foi derrotada pelo nevoeiro. Com os homens, ocorre de forma semelhante. O nevoeiro da incredulidade interfere em muitos caminhos,  nos entregando à desesperança, desistindo as vezes muito perto de alcançarmos a vitória.
Que, portanto, possamos construir em nosso dia-a-dia a fé que nos permita a serenidade diante das lutas, a coragem que nos impulsiona a superação, o otimismo que jamais nos deixe cair no poço escuro do pessimismo, o amor que nos auxilie a compreender a todos a nosso volta. Hora de assumirmos o leme do barco da vida, não nos desesperando mais diante das tempestades que surgirem no percurso. Não estamos sós, há sim uma Providencia a nos amparar em todos os momentos. É chegado o tempo da confiança, que nos permita enxergar o destino a que nos propomos chegar, com perseverança e muito alegria. Abraço a todos!

Diogo Caceres

14 comentários:

Sonia Schmorantz disse...

Estas reflexões sempre são bem vindas!
um abraço

Déia Arakaki disse...

Bom dia querido!!

Que possamos sempre ter serenidade e principalemente fé em Deus!!
Que com certeza obteremos dentro de nosso coraçao Confiança!!


Abraçao!!

Adoro tu

Deusa Odoyá disse...

Olá meu amigo querido!
Suas reflexões, faz bem a nossa alma.
Temos sim que sempre confiarmos e nos entregarmos aos olhos de Deus.
Tudo nessa vida se resume nele.
Lindo, inspirado, iluminado e com uma paz em elevação.
Beijinhos e grandes realizações e glórias para sua vida.
Regina coeli.

Aguardo sua visita ao meu cantinho.

Jeanne disse...

A nossa fé em geral ainda é muito frágil, temos que conquistar dia a dia uma fé incondicional e sólida,esta conquista pode ser através do estudo da doutrina que sempre ajuda-nos a entender, e entendendo melhor, acreditar.
Beijos

Cris Michelon disse...

Diogo!!!
Viver...é chegar onde tudo começa!
Amar... é ir onde nada termina! ♥
♥ Viva...como se fosse cedo!
  Reflita...como se fosse tarde! ♥
   ♥ Sinta o que você diz... com carinho!
Diz o que você pensa... com esperança! ♥
 ♥ Pense no que você faz...com fé!
Faça o que você deve fazer... ♥
bjs

Déia Arakaki disse...

.................................
....... , . - . - , _ , .......
....... ) ` - . .> ' `( .......
...... / . . . .`\ . . \ ........
...... |. . . . . |. . .| ........
....... \ . . . ./ . ./ .........
......... `=(\ /.=` .........
........... `-;`.-' ............
........... `)| ... , ........
.............. || _.-'| ........
........... ,_|| \_,/ ........
..... , ..... \|| .' .............
..... |\ |\ ,. ||/ .............
.. ,..\` | /|.,|Y\, ............
... '-...'-._..\||/ .............
....... >_.-`Y| ..............
............ ,_|| ...............
.............. \|| ...........
............... || ..........
............... || ...........
............... |/ ...........

Te adoro!!

gercicristal.blogspot.com disse...

Lindo, fofo da minha vida que massa vc de volta, eu tb estou tão ausente, mas deixamos de papo e vamos ao que interessa kkk. Meu caro as turbulencias nos atingem de acordo com nossa Fé e nossa entrega ao amor de Deus. Sei que temos momentos que fraquejamos nessa caminhada , mas se colocarmos Deus sempre como o primeiro em nossa vida o resto virá por acrescimo. A caminhada é dificil mas com amor e serenidade , conseguiremos ir a diante memso diante da dor. Fica com Deus!! Nosso alicerce é o nosso amor as pessoas e a Deus. bj e lindo feriadão!!! NEOQEAV.

Multiolhares disse...

Talvez por isso se diga que depois de uma tempestade vem a bonança, a fé nunca a devemos perder quando acreditamos é um paço em frente para vencermos qualquer obstáculo
beijinhos

Principe Encantado disse...

Amigo gostei muito do contudo de seu blog, seus textos são ótimos, passarei por aqui outras vezes. Você esta de parabéns.
Abraços forte

Bete disse...

Passei muitos momentos de dor, o pior de todos foi quando meus pequeninos partiram para outro plano. Mas Deus acalmou meu espirito e hoje depois de tanto tempo coloquei as fortografias deles num porta retrato. Antes ficavam guardadas no armario e no cantinho do meu coração.
Vir aqui , nos enche de esperança.
Bjs querido e que DEUS te ilumine, sempre.

Vivian disse...

...boa tarde menino de luz!

seus textos sempre nos enriquece,
e eu adoro isso!

paz e luz em seu caminho,
é o que meu coração lhe deseja
neste instante.

bjuuu

Tatiana disse...

Oi Diogo!
Que maravilha ter vc de volta a blogsfera!
Senti a sua falta!
Mas como vc sumiu achei melhor respeitar o seu período distante.
Já te vi no orkut da Déia... mas esperei que me procurasse primeiro para me aproximar novamente.

Desejo de coração que tudo esteja bem!

Sua postagem como sempre maravilhosa e educativa!

Um abraço carinhoso

Déia Arakaki disse...

O Lay do blog ficou otimo \o/

Adoro tu

bjkas

gercicristal.blogspot.com disse...

LINDOOOOOOOOOOOOOOOOOO BLOGGGGGGGGGGGGGGG ARRASOU FOFO....ESTA MASSAAAAAAAAAAAAAAAAA